quinta-feira, Abril 17, 2014

Crónica Festival em Alcáçovas
12/4/2014
 
Meus amigos,
mais uma vez, vos escrevo a pedido do nosso Cabo António. Como sempre faço-o com o maior prazer mas peço que desculpem alguma falta de qualidade literária, pois não é seguramente o meu forte.
“Novilhada de oportunidade aos novos valores”, assim rezava o cartel e assim foi de facto tanto para cavaleiros como para os dois Grupos em praça. Pena só, que os aficionados que por vezes tanto se queixam de os cartéis serem sempre os mesmos não tenham aderido com mais força.
A cavalo andaram com desembaraço os jovens toureiros com destaque para os dois Núncios.
A pé também andou regular o novilheiro Sérgio Nunes.
Na parte da forcadagem, tarde com pouca história com os dois Grupos a rodarem aquilo que antigamente eram designados como os “juvenis”.
Gostei de ver a malta nova a aproveitar as oportunidades, tanto os caras como os ajudas, mas essencialmente o que deu para notar foi o bom ambiente que têm tanto dentro como fora da Praça. Esse como sabemos é um factor primordial para se pegarem toiros, depois vem tudo o resto.
Estou convicto que vão seguir no bom caminho, desejo-vos uma grande época.
Agradeço mais uma vez aos meus pais terem oferecido o monte para se fardarem e para o jantar.
Dia 1 de Maio voltamos a encontrar-nos para a ferra.
Abraço do vosso amigo
João Pedro Murteira Rosado


domingo, Novembro 24, 2013

Crónica Salvaterra de Magos
6/4/2014


Data: 6 de Abril de 2014
Hora: 17:30
Cavaleiros: João Salgueiro, Paulo Jorge Santos e Manuel Ribeiro Telles Bastos
Grupos de Forcados: Évora e Vila Franca de Xira...
Ganadaria: Alves Inácio

No passado dia 6 de Abril, tive uma vez mais, o prazer e a honra de acompanhar o nosso Grupo em mais uma corrida de toiros. Desloquei-me a Salvaterra de Magos, para assistir à prestigiada "Corrida do Tomate", este ano a contar a sua 10ª edição.
Um dos grandes atrativos desta corrida, para além da participação do Grupo de Évora, foi a estreia da ganadaria Alves Inácio. Ganadaria oriunda de Benavente, com procedência Montalvo (Coimbra) e Murube-Urquijo. Sairam bravos e bem apresentados, proporcionando o triunfo aos intervenientes e merecendo a volta ao ruedo do ganadero. Os seus pesos oscilaram entre 510 e 580 Kg e apresentavam 4 anos de idade.

Os cavaleiros andaram com acerto, com destaque para Manuel Telles Bastos.

No capítulo das pegas, foram escolhidos pelo nosso cabo para pegar o primeiro touro, os forcados Ricardo Sousa, José Maria Menéres, Carlos Rodrigues e Luis Nobre, Gonçalo pires, José Vacas, João Rêgo e Bernardo Nobre.
Nesta pega acusámos o nervosismo da primeira corrida da época e as coisas não sairam da forma a que estamos habituados. Pegámos à 4ª tentativa.
Para o 3º touro da tarde, perfilaram-se para a pega, os forcados Dinis Caeiro, Miguel Saturnino, Luis Nobre e Bernardo Nobre, João Madeira, José Vacas, João Rêgo e João Varela.

À semelhança do touro anterior, a pega também não nos correu da melhor forma, existindo algum desacerto nas ajudas e pegámos igualmente à 4ª tentativa.

Para o 5º touro, os escolhidos foram João Madeira, Duarte Tirapicos, Carlos Rodrigues e Luis Miguens, Gonçalo Pires, José Maria Menéres, João Varela e Miguel Saturnino.
Nesta pega, corrigimos todos os erros cometidos nas anteriores e pegámos da forma habitual, com vontade, amizade, união, técnica, força... à GFAÉ. Uma GRANDE pega.

O Grupo de Vila Franca pegou bem os touros à 1ª tentativa, por intermédio de António Faria, David Moreira e Rui Godinho.

Termino esta crónica, desejando que a época de 2014 seja a melhor época de sempre e que estejamos sempre todos juntos a apoiar o nosso Grupo em qualquer ocasião.

Encontramo-nos no próximo dia 12 de Abril na Vila de Alcáçovas para mais uma grande corrida do Grupo de Évora.

Um Abraço do sempre vosso Amigo,

Ricardo Casas-Novas

quinta-feira, Outubro 24, 2013

Crónica Corrida Évora
20/10/2013
 
Desafiou-me o Cabo António Alfacinha, a quem agradeço a confiança, para assumir a enorme responsabilidade de redigir a crónica de mais uma Corrida de Toiros com a participação do Grupo de Forcados Amadores de Évora. A responsabilidade tornou-se acrescida considerando estarmos perante um espectáculo realizado na sempre asfixiante e empolgante Capital do Forcado, ou seja, na Cidade que dá nome ao Nosso Grupo. Sim, Nosso, dado que, para quem não me conhece tão bem, refiro rapidamente ter tido a enorme honra de vestir a Jaqueta do GFAE entre 1992 e 2001. Peguei de caras, dei também bastantes ajudas, fiz-me homem e ganhei amizades para a Vida.
Quanto ao espectáculo em si, realço tratar-se da primeira vez que presenciei esta Ganaderia em praça e, não me tendo enchido as medidas quanto à bravura, acabo por me render à apresentação relativamente homogénea, ainda que alguns dos exemplares merecessem "mais cara" para se apresentarem numa Praça tão importante como a de Évora. Nenhum toiro, à excepção do último, terá dado sinais claros de bravura (antes pelo contrário), contudo saliento que todos os cavaleiros tentaram "arrimar-se", sendo que destaco a lide do eterno João Salgueiro, pela experiência que ainda consegue demonstrar e pela forma como deu a volta e cravou ferros emotivos num toiro que "trepava" literalmente pelo estribo acima na reunião. Lamento, ainda assim que, pelo preço médio imposto na bilheteira, tenha o espectador de Corridas de Toiros, numa Praça como Évora, de pagar para ver lides tão irregulares e com tantas diferenças na qualidade entre os toureiros.
Quanto às pegas, comentarei apenas as do GFAE, de forma positivista, dado que os comentários mais técnicos, tal como Vos transmiti a Todos no discurso, devem ser emanados pelo Cabo, em conjunto convosco no defeso (e não só), de forma a que, Todos juntos, cimentem cada vez mais a Vossa Amizade, corrigindo a forma de estar em Praça. A responsabilidade de vestir esta Jaqueta a isso Vos "obriga".
Para a cara do primeiro toiro, da corrida e do lote do Grupo mais velho, saltou previsivelmente o Ricardo Casas Novas, que queria e conseguiu, de forma brilhante e cheia de emoção, pegar o seu último toiro. Segui atentamente o Ricardo, desde as cortesias, notando-lhe uma fortíssima emoção, que contagiou a bancada. O Bimbo fechou-se maravilhosamente na cara de um toiro que ainda achou conseguir-lhe estragar a festa. Não, o Casas Novas determinado e humilde, sim, consumou a sorte que procurou, brindando a Mãe e Pai, ou seja, a quem sempre o acompanhou e lhe "lambeu as feridas". Mereceste o que procuraste, pois na vida e em praça sempre tens conseguido ser determinado e vencedor. Agora vais, de certo, VIVER MELHOR - OLÉ -. 
Para a cara do terceiro da corrida saltou o Matxira (Ricardo Sousa), a quem eu vi, precisamente no final da época há um ano, pegar "com sítio" penso que o último toiro da temporada. Sei tratar-se de um Forcado que não vira a cara à luta, ávido de aprender e que me, na altura, me encheu as medidas. Nesta noite, como referiu o António Alfacinha, não foi a sua noite. Muito bonito a citar, foi perdendo eficácia na colocação em praça, sendo derrotado por duas vezes. Fechou à terceira com garra, mas também com uma importante primeira ajuda. Os toiros e o ambiente, em Évora, não perdoam falhas, mas é aqui que acredito ser a "praça do Matxira", por aquilo que o vi fazer no ano passado. Para o último do Nosso lote, o Cabo escolheu o Dinis Caeiro, cujo acontecimento mais positivo da noite foi a apresentação oficial, à Família GFAE, da sua actual companheira. Destaco, ainda, que, ao contrário do Ricardo Sousa, soube ir ganhando os terrenos certos ao toiro, sendo a sua serenidade a fazê-lo o aspecto que deverá conservar como seu ponto forte. Tenho a certeza que, este ano e pelo que ouvi, o Dinis fez pegas fantásticas, daí ter merecido a enorme responsabilidade de pegar em Évora. Não esmoreçam e tentei transcender os Vossos limites. 
Acrescento ainda ter assistido, desde logo com alguma saudade, à retirada de um forcado das ajudas que conheço desde criança, irmão de um companheiro de fardação. O Kiko Abreu, irmão do Vasco e filho de um Fundador do GFAE, resolveu dedicar-se definitivamente à "rija pega" que encerra a educação de CINCO (!!!) Filhos que, se saírem ao Pai, vão ainda dar-Lhe muitas alegrias no futuro.
Termino referindo ter sido com enorme prazer que Vos acompanhei ao jantar, facto que já não acontecia há algum tempo, ainda que Vos continue a seguir em praça, sempre que possa. Agradeço, para sempre, a forma como fui recebido, as mensagens de boas vindas e o próprio jantar.  Testemunhei um ambiente fantástico, que se deve à forte união que existe entre Vós, muito graças à inquestionável e inteligente liderança do Cabo António Alfacinha, muito bem secundado pelos mais experientes ainda em actividade. Enfim, não é mais do que aquilo que vivi, enquanto me fardei.
Repito algumas das palavras que Vos dirigi ao jantar: 
 - Juntem-se sempre que possam, sejam amigos, respeitem as decisões do Vosso Cabo, oiçam-no, bebam copos juntos e peguem os toiros. -
A maior sorte para sempre !
Pelo Grupo de Évora Venha Vinho, Venha, Venha Vinho, Venha, VENHA VINHO, VENHA, Bota abaixo.
 
Grande Abraço
André Cotrim


 
 

quinta-feira, Outubro 10, 2013

Crónica Corrida Vila Franca de Xira
 
 
Corrida comemorativa dos 165 anos da Prestigiada Ganadaria Palha

Praça de Toiros: Vila Franca de Xira

- Data: 5/10/2013 pelas 22.00 horas

- Ganadaria: Palha

- Cavaleiros: Victor Ribeiro, Manuel Telles Bastos e Salgueiro da Costa 

- Grupos de Forcados Amadores:  GFA Évora e GFA Vila Franca

- Assistência: 1\2 casa

 
Foi com muito gosto e afición que no passado dia 5 de Outubro, deslocámos até á emblemática e castiça Praça de Toiros de Vila Franca de Xira para assistir a uma grande corrida de toiros. E digo grande porque esta foi uma corrida para aqueles que se chamam homens de barba rija. Corrida dura, séria e bem apresentada.

Mas tiveram homens a altura, para os enfrentar. Uma noite fria que a emoção aqueceu e que bons momentos de afición, toureiria e valentia nos trousse.

 
No capítulo dos cavaleiros, como não podia deixar de ser, e que esta época nos tem sempre prendado com grandes atuações o Victor Ribeiro esteve enorme, com duas grandes lides. Manuel Telles Bastos ao seu estilo bem e o Salgueiro da Costa um pouco mais por baixo mas regular.

 
Mas vamos ao que interessa e que nos leva as Praças de toiros a maior parte das vezes as pegas:

Pelo grupo de Vila franca pegaram o Márcio Francisco á 1ª, tentativa de cernelha por 3 vezes de João Maria Santos não concretizadas em que resolveram de caras a 1ª e o Ricardo Patusco á 1ª. Pegas boas e rijas.

 
No capítulo do nosso grupo foi uma noite muito agradável e que bem andou o grupo em frente a estes toiros duros, nesta praça tão exigente, que o grupo respondeu com a juventude ao mais alto nível.

 
Para o primeiro o António mandou o Dinis, e que bem soube este aproveitar tamanha responsabilidade, abrir praça nesta corrida frente a um toiro sério, esteve bem com ele o grupo ajudou e concretizou com eficácia a primeira tentativa.

 
Para o segundo saltou o nosso ”Matxira de Sousa”, cheio de vontade e ganas de triunfar, mas não entendeu bem o toiro na primeira tentativa, este arrancou cheio de pata o Ricardo não se conseguiu fechar e ficou inanimado, pata tanta que ele vinha que apanhou o primeiro ajuda Miguel Saturnino e deixou o também inanimado. Momento duro mas que com a valentia que o carateriza, o “Matxira” acordou a malta puxou por ele e vamos ao toiro, um Olé para esta atitude é de atitudes como estas que se fazem os bons forcados. Na segunda tentativa ainda não ia bem em si e não conseguiu consumar, mas a terceira não o deixou fugir, muito bem ajudado por todo o grupo consumou a terceira tentativa.

O Miguel acordou também, apareceu na trincheira um pouco depois e nada de grave aconteceu.

 
Para o nosso terceiro o Guga, mais uma vez mostrou o patamar que quer atingir, o mais alto, tudo bem feito, tudo com calma e após se fechar já não sai mais. Parabéns Guga que agradável é ver-te pegar, com esta maneira de estar e saber andar em praça. O grupo ajudou bem e consumou se á primeira uma grande pega.

 
Todo o grupo está de Parabéns.

 
Estamos a um passo do final da temporada, que as Corridas que faltam corram ainda melhor do que as anteriores.

Sorte.

 
Pelo Grupo de Évora

Venha Vinho, Venha Vinho, Venha Vinho

 
Grande Abraço

Vasco Costa
 
 
 

sexta-feira, Setembro 27, 2013

Crónica Corrida Elvas
 
 
CORRIDA em  homenagem aos 30 anos de alternativa de Joaquim Bastinhas a favor da APPACDM de Elvas 
GANADARIA: Maria Guiomar Cortes Moura.
CAVALEIROS: Joaquim Bastinhas , Ana Batista, João moura Caetano, Marcos Tenorio, João Moura JR. 
FORCADOS: G.F.A.Évora:G.F.Académicos de Elvas. 
 
É para mim uma honra e responsabilidade dar vos um pouco do que se passou nesta noite de toiros. 
ELVAS cidade que tantos forcados deu a este grupo nestas festas de S. Mateus estava com praça cheia, cartel de bilhetes esgotados.
Corrida com grandes expectativas com um curro de toiros que  há muito não se via em Elvas, depois da corrida no campo pequeno desta ganadaria.
Toiros com peso, bem apresentados mas com sinais de mansidão nos três primeiros.
A abrir praça forcado João Madeira com o maior toiro da corrida e muito manso , grande pega à 1 tentativa a receber bem o toiro grupo muito bem a ajudar.
A tentar a sorte deste nosso segundo toiro homem da casa Manuel Rovisco, bonito a citar pega à terceira tentativa noite menos conseguida por este forcado que tantas boas tardes e noites nos tem acostumado .
Para o último da noite o forcado Dinis Caeiro à 1 tentativa toiro com bravura grupo esteve muito bem a ajudar.
Para o grupo da casa os Académicos de Elvas concretizou David Barradas à 2 tentativa, Joaquim Guerra à 1 tentativa, Afonso B. Martins à 4 tentativa. 
Uma palavra de agradecimento ao cabo António Alfacinha por a oportunidade de receber na minha casa tão distinto grupo do qual a minha rapaziada ficou de boca aberta olhando a forcadagem a vestir traje de luzes.
Sensação esquisita quando ao entrar no jantar malta a levantar, faz me lembrar algo a que já assisti algumas vezes.
 
 
Venha vinho, venha vinho, venha vinho. Bota abaixo.
 
 
Vasco Abreu.